Indústria 4.0 e segurança no trabalho

Segurança no trabalho é o que norteia nossas ações. Por isso, é necessário investir em cursos e estrutura adequada para fornecer um ambiente laboral mais seguro. E nesta época em que vivemos – a quarta revolução industrial, os avanços tecnológicos tem um papel fundamental: a indústria 4.0 agrega formas inovadoras e eficazes para ações preventivas de segurança.

Muita coisa mudou, nada é como 20 anos atrás. Os avanços tecnológicos permitem um ambiente de trabalho mais seguro, com ferramentas de automação que atuam de maneira preventiva. Assim, é possível prever falhas nas linhas de produção e corrigi-las que podem colocar os trabalhadores em risco.

O que é a indústria 4.0?

Antes de falar sobre a indústria 4.0 e a segurança no trabalho, precisamos, primeiramente, compreender o grande potencial dos avanços tecnológicos trazidos pelo conceito de 4.0.

As três primeiras revoluções industriais trouxeram importantes avanços para as indústrias, desenvolvendo a mecânica, a elétrica e a automação. Enfim, chegamos a quarta revolução industrial, representada pela indústria 4.0.

Esta nova era para indústria é caracterizada pelo uso de tecnologias avançadas, que possibilitam a integração e a fusão do mundo físico com os mundos digital e biológico. Isto se dá por meio da geração de dados e conexão entre máquinas, equipamentos e softwares de gerenciamento.

As principais tecnologias utilizadas pela indústria 4.0 , segundo a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial -ABDI , são:

  • Manufatura aditiva (3D)
  • Inteligência artificial (IA)
  • Internet das coisas (IoT)
  • Biologia sintética (SynBio)
  • Sistemas Ciber-físicos (CPS)

A indústria 4.0 aumenta a produtividade, através da otimização de processos e da redução de custos. Além disso, possibilita maior controle sobre processos e também a customização da produção padronização de processos industriais.

Ainda de acordo com a ABDI, estima-se uma economia de, no mínimo, 73 bilhões por ano nos custos industriais do Brasil, a partir da migração da indústria para o conceito 4.0.

Apesar de o mundo já ter a indústria 4.0 a disposição, a transição para as novas tecnologias ainda não está completa. Para alguns especialistas, grande parte da indústria do Brasil ainda está em processo de migração para a indústria 3.0, caracterizada pela automação por meio da eletrônica, robótica e programação.

Como a Indústria 4.0 contribui para a segurança no trabalho?

A utilização da tecnologia trouxe mudanças significativas nas formas de planejamento e execução das atividades. O controle dos processos produtivos conta agora com diversos dispositivos e recursos tecnológicos conectados entre si e ligando assim toda a cadeia de produção e logística. Com o uso de alta tecnologia é possível identificar e acompanhar variações nos processos com precisão.

Com a indústria 4.0 e consequentemente, a automatização e otimização de processos, é possível que os gestores tenham mais controle sobre a produção. Além disso, os trabalhadores deixam de fazer atividades que passam a ser desempenhadas por máquinas e consequentemente, são menos expostos aos riscos no ambiente de trabalho.

Exemplos da aplicação da tecnologia 4.0 para a segurança no trabalho:

  • Sensores e componentes operados através da internet das coisas podem fazer o controle automatizado e em tempo real, enviando informações de segurança.
  • Dispositivos podem controlar acessos à áreas de risco.
  • Câmeras de segurança que ajudam a controlar ações e movimentos, capazes de identificar falhas.
  • Softwares são usados para coleta e análise de dados.
  • Sistemas de automação executam atividades pesadas ou perigosas para humanos.
  • Organização de dados referentes à saúde de cada trabalhador, integrando-os a programas de saúde ocupacional dentro das empresas.

Tudo Isso é fundamental para prever possíveis acidentes e alertar os trabalhadores com antecedência. Deste modo, a segurança destes profissionais será preservada.

Profissionais na era da indústria 4.0

Funcionários e gestores precisam ser capacitados para saber lidar com as novas demandas das indústrias tecnológicas. Habilidades intelectuais passam a ser cada vez mais requisitadas, em detrimento as atividades manuais. O homem agora não precisa mais manusear ferramentas. O conceito 4.0 exige que ele saiba operar sistemas que fazem a atividade. Agora, ao invés de fazer atividades manuais, os trabalhadores devem saber operar as máquinas que fazem o trabalho.

Porém, o alto grau de automação dentro das empresas pode impactar diretamente sobre aspectos de natureza psicossocial dos trabalhadores e consequentemente, repercutir em seu rendimento e bem estar. Ao mesmo tempo em que a 4.0 traz benefícios para a segurança no trabalho, ela também é apontada como responsável por alguns sintomas hipermodernos, como depressão, estresse, síndrome do pânico e Síndrome de Burnout.

Deste modo, os trabalhadores afetados tendem a ser menos criativos, produtivos, além de terem mais dificuldades para a tomada de decisões importantes.

Neste contexto, é necessário mudanças. Trabalhadores e equipes de Segurança do Trabalho devem estar mais preparados, adequando os processos, condutas e metodologias de trabalho às novidades impostas pela indústria 4.0. O bem estar do trabalhador deve estar alinhado à nova relação entre o homem e a máquina.

Assim, a segurança física e os cuidados com o estado emocional deve ser uma preocupação constante dos gestores. Para tanto, é preciso conhecer todos os aspectos, positivos e negativos, da indústria 4.0 e fazer as adequações necessárias a sua empresa. Segurança e bem estar dos funcionários é o nosso negócio. Consulte os treinamentos disponibilizados pela IACO e melhore o ambiente de trabalho da sua empresa.

 

Acompanhe a IACO no Facebook e fique por dentro de todas as novidades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *